FCSN // Newsletter // 2014 // April 2014 // Visões da Comunidade 2014
a

Visões da Comunidade 2014

“Começa com Vocês”

Por Roisin Foley, Executive Assistant – FCSN

No sábado, dia 8 de março, a Federação acolheu acima de 900 participantes no Seaport World Trade Center em Bostom para a sua conferência sobre as Visões da Comunidade, de um dia de duração, para os pais de crianças com necessidades especiais e para os profissionais que lhes prestam assistência. Os participantes de todo Massachusetts participaram de oficinas, examinaram o salão dos exibidores, visitaram as mesas de recursos, e trabalharam em rede com outros pais e profissionais. Este ano, a Federação foi capaz de oferecer oficinas em espanhol, português, vietnamita, chinês e somali durante cada destas três sessões, além de 30 oficinas em inglês. Serviços de interpretação estavam disponíveis para os participantes que usam a Linguagem Americana de Sinais, chinês cantonês e mandarim, somali, português, espanhol e vietnamita.

O dia iniciou-se no anfiteatro, onde o Diretor Executivo da Federação Rich Robison introduziu Convidados Especiais e presidiu a cerimônia de Prêmio de Parceria Comunitária. Entre os convidados encontravam-se o Comissário do Estado Tom Sannicandro, o Comissário dos Serviços de Desenvolvimento Elin Howe, o Comissário dos Surdos e Deficientes Auditivos Heidi Reed, e o Comissário Adjunto do Departamento de Saúde Mental Cliff Robinson. Os Comissários do Departamento de Educação Elementar e Secundária (DESE) incluindo o Comissário Dr. Mitchell Chester, Comissário Adjunto Alan Ingram, a Diretora dos Serviços de Educação Especial Marcia Mittnacht, e a Diretora do Escritório dos Sistemas Interligados de Apoio Madeline Levine.

A Federação orgulhou-se em apresentar uma palestra importante, consistida de duas partes, encabeçada por Michael Yudin, Subsecretário do Escritório dos Serviços de Educação Especial e de Reabilitação (OSERS) no Departamento de Educação. O discurso do Subsecretário Yudin tratou de concentrar-se na promoção de altas expectativas para os estudantes com deficiências. Destacando os valores principais de Inclusão, Equivalência e Oportunidade, do OSERS, o Sr. Yudin afirmou que o objetivo da inclusão integral para os jovens com deficiências na escola e na sociedade, “…é mais do que um imperativo moral, isto é um imperativo econômico.” O discurso apaixonado do Sr. Yudin foi orientado por dados mas afirmou fortemente que “As crianças com necessidades especiais são em primeiro lugar crianças,” um sentimento que sintonizou com os participantes da conferência. Ele afirmou que os pais sabem por expreiência, que “…pesquisa constata que crianças com deficiência obtêm melhor resultados quando são expostas a altos padrões e têm acesso ao currículo geral.” Ele também fez menção sobre a pesquisa em como as expectativas dos professores impactam o desempenho do estudante, bem como as estratégias para a inclusão como a dos Princípios de Desenho Universal e Sistemas de Apoio de Múltiplos Níveis, Principles of Universal Design and Multi-Tiered Systems of Support. Finalmente o Sr. Yudin disse aos participantes, “Nós temos que mudar a cultura de expectativas, e isto começa com vocês. Começa com os nossos pais.”

A segunda metade da importante palestra conectou explicitamente a estratégia nacional com as experiências do dia a dia entre os pais e os filhos. Proferida pelo Diretor Executivo do Pais para Pais de Virginia, Dana Yarbrough, e sua filha Brooke usando uma apresentação PowerPoint e tecnologia de assistência iPad, a apresentação insistiu em que os pais aumentassem as suas expectativas e criassem uma visão para seu filho. Cada Yarbrough contou a história da busca de uma “Vida típica” para Brooke, de desde ser um bebê prematuro pesando 2 libras com deficiências físicas, intelectuais e sensoriais até tornar-se uma formanda de 19 anos de idade, na Escola Secundária, e a proprietária de um pequeno negócio. Uma “vida típica é…diferente para cada um de nós,” disse Dana, mas para jovens com deficiências pode ser definida pelas realidades do sistema de serviços. Ela concentrou-se em sua crença de que as famílias devem desenvolver cedo uma visão para o futuro da sua criança, devem manter-se firmes, e não esperar que o sistema de serviços vá criar uma vida para a sua criança. Ela revelou ao relatar às equipes do IEP que Brooke teria um dia o seu próprio negócio e defrontou-se com o argumento de que ela “negava o fato” sobre a realidade de Brooke. As Yarbroughs procuraram meios de não dizer “Não,” mas “Como podemos fazer com que isto seja possível?” Brooke adicionou, “Eu vivo a vida que escolho e não aquela ditada pelo sistema de serviços.”

O tema das altas expectativas para jovens com deficiências teve continuidade na Sessão Um com “Transições Bem Sucedidas: Painel de Discussão Alcançando Sonhos,” uma oficina moderada pelo Subsecretário Yudin caracterizando as Yarbroughs, a funcionária da Federação Becky Rizoli, Nicole Tarzia, e Laura Surprenant. Cada jovem apresentada em relação a suas próprias experiências navegando o sistema de educação especial e transicionando para uma vida independente. Outras oficinas favoritas dos participantes incluia uma conversa com os funcionários do DESE entitulado, “Melhorando o Formato do IEP: O Que Funciona? O Que Não Funciona,” uma exploração de uma jornada emocional e necessidades de autocuidados de exercer a função de pais de uma criança com necessidades especiais, “Transformado Através de uma Criança: A Jornada Emocional,” “Ensinar Crianças Traumatizadas a Aprender: Criação e Defesa para Escolas Sensíveis ao Trauma,” “Gerenciamento de Comportamento em Deficiências de Desenvolvimento: Um Guia à Compreensão e ao Gerenciamento de Comportamentos Desafiantes,” “Lei de Cuidado de Saúde Acessível: O que está mudando para as Famílias de Massachusetts?,” “Ajudando as Crianças Pequenas com Ansiedade,” e “Trabalhando Juntos: Trazendo Mudança Positiva para o Seu Distrito Escolar. No intervalo das sessões da oficina, os participantes passaram uma olhadela nas mesas de recursos de todos os programas da Federação, bem como em uma extensa exposição de recursos regionais, estaduais e nacionais do LAÇOS da Família, Family TIES de Massachusetts. Os 84 Exibidores incluídos os dos serviços de defensoria, organizações de apoio, planos de financiamento, escolas e faculdades, hospitais, práticas terapêuticas, tecnologia de adaptação e opções recreativas, livros, e arte e artesanato. Além dos exibidores, houve autógrafo de livros pela fundadora da Federação, Martha Ziegler, pelos membros do pessoal da Federação Becky Rizoli e Ashley Coates, e Judith Canty Graves e Carson Graves.

Tanto o salão de exibição bem como as crianças sendo cuidadas pela creche da conferência ficaram entusiasmados em receber a visita da Trupe de Palhaços do Hospital Corações & Narizes, Hearts & Noses Hospital Clown Troupe. Os palhaços brincaram com as crianças por mais de uma hora, criando um espaço divertido, seguro e energético para as crianças, trabalhando intensamente para não oprimir aqueles que se sentem menos confortáveis diante de palhacos.

Este ano, os participantes que entregaram os seus Formulários de Avaliação da Conferência receberam uma cópia do “Um Guia da Família para os Serviços de Transição em Massachusetts,” produzido em conjunto pela Federação e pela Comissão de Reabilitação de Massachusetts. Disponível em espanhol e inglês, o Guia também pode ser encontrado no Website da Federação.

Mais de 100 funcionários da Federação e bem como voluntários tornaram com que esta conferência fosse possível este ano, desde os funcionários que dão cuidados às crianças, intérpretes, dirigentes das oficinas, até cada um que ajudou na organização e na limpeza. A Federação agradece a cada um deles por seus esforços em proporcionar que o dia corresse com tranquilidade. A verdadeira alegria do dia continua sendo a de ter visto os rostos dos pais e observá-los conectando-se e ispirando uns aos outros ao compartilhar histórias, recursos, e apoio. A próxima Conferência Visões da Comunidade acontecerá no dia 7 de março de 2015 no Seaport World Trade Center. Planeje agora a sua participação!