FCSN // Newsletter // 2019 // Fall 2019 // Entendendo o bullying (Portuguese)
a

Entendendo o bullying (Portuguese)

Agradecemos a stopbullying.gov por grande parte das informações neste artigo

É bastante comum: uma criança se sente constrangida on-line. Ou talvez outras crianças a xinguem, ou cochichem sobre ela quando ela passa, ou a deixem de fora das atividades em grupo. Talvez esses abusos cheguem a ser físicos, ou seus pertences são roubados dela. Qualquer uma destas atividades, ou todas, podem acontecer repetidamente.

A Federação recebeu vários telefonemas de pais preocupados que os filhos sejam vítima de bullying. Na verdade, mais de 70% dos jovens dizem ter visto bullying na escola. Crianças que intimidam usam seu poder, como força física, acesso a informações embaraçosas ou popularidade, para controlar ou prejudicar os outros. O bullying pode incluir provocações, xingamentos, intimidação, humilhação, insultos, rumores ou mentiras, pedidos de dinheiro, assédio on-line, assédio sexual, agressão física, furto e destruição de propriedade. O comportamento é repetido, ou tem o potencial de ser repetido, ao longo do tempo.

O bullying pode ocorrer a qualquer momento ou local, inclusive em um prédio escolar, no playground, no ônibus, no bairro da criança ou on-line. Dependendo do ambiente, crianças com deficiência podem estar em maior risco de serem intimidadas. Embora nenhum fator indique que uma criança corra mais risco de ser intimidada, geralmente, as crianças que sofrem bullying têm um ou mais dos seguintes fatores de risco:

  • São percebidas como sendo diferentes dos pares, como por exemplo, por estar acima ou abaixo do peso, por usar óculos ou roupas diferentes, ou por ser novo em uma escola.
  • São percebidas como fracos ou incapazes de se defender.
  • Estão deprimidas, ansiosas, ou têm baixa autoestima.
  • São menos populares do que os outros e têm poucos amigos.
  • Não se dão bem com os outros, são vistas como irritantes ou provocadores, ou antagonizam os outros para chamar a atenção.

As crianças mais propensas a intimidar os outros podem estar bem conectadas aos pares, podem ter poder social, estão excessivamente preocupadas com a popularidade e gostam de dominar ou estar no comando dos outros. Por outro lado, elas também podem estar mais isoladas dos pares e podem estar deprimidas ou ansiosas e ter baixa autoestima, estar menos envolvidas na escola, ser facilmente pressionadas pelos colegas ou não se identificar com as emoções ou sentimentos dos outros.

Qualquer um destes fatores de risco – ser causa ou alvo de bullying – não significa necessariamente que uma criança será intimidada.

Há muitos sinais de alerta que podem indicar que alguém é afetado pelo bullying, seja sendo intimidado ou intimidando os outros. Reconhecer os sinais de alerta é um primeiro passo importante para tomar medidas contra o bullying. Nem todas as crianças que são intimidadas ou estão intimidando outras pessoas pedem ajuda.

É importante conversar com crianças que demonstram sinais de bullying ou fazem bullying com os outros. Estes sinais de alerta também podem apontar por outros problemas ou questões, tais como depressão ou abuso de substâncias. Falar com a criança pode ajudar a identificar a raiz do problema.

Alguns sinais que podem apontar para um problema de bullying são:

  • Ferimentos ou lesões inexplicáveis.
  • Roupas, livros, eletrônicos ou joias perdidos ou destruídos.
  • Dores de cabeça ou de estômago frequentes, sentir-se doente ou fingir estar doente.
  • Mudanças nos hábitos alimentares, como pular refeições de repente ou compulsão alimentar. As crianças podem voltar para casa da escola com fome, porque não almoçaram.
  • Dificuldade para dormir ou pesadelos frequentes.
  • Notas que estejam piorando, perda de interesse em trabalhos escolares, ou não querer ir para a escola.
  • Perda súbita de amigos ou evitar situações sociais.
  • Sentimentos de desamparo ou diminuição da autoestima.
  • Comportamentos autodestrutivos, como fugir de casa, prejudicar-se ou falar sobre suicídio

Procure mudanças na criança. No entanto, esteja ciente de que nem todas as crianças que são vítimas de bullying demonstram sinais de alerta.

Se você estiver preocupado com seu filho e bullying, não hesite em entrar em contato para obter ajuda. O call center da Federação está disponível, pelo 1-617-236-7210, ou 1-800-331-0688 ou pelo site fcsn.org/pti.

Parte 2 Que medidas os pais devem tomar se a criança estiver sendo intimidada na escola?

Parte 3 Que medidas a escola deve tomar para prevenir o bullying e criar um ambiente escolar seguro?